Carlesse está afastado por determinação do Superior Tribunal de Justiça enquanto é investigado pela Polícia Federal. Para começar a tramitar na AL, pedido precisa ser aceito pela presidência da Casa, que ainda não se manifestou. Pedido foi apresentado na Assembleia Legislativa do Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
O deputado Júnior Geo (PROS) apresentou um pedido de abertura de processo de impeachment contra o governador afastado do Tocantins, Mauro Carlesse (PSL). O documento está protocolado na Assembleia Legislativa e ainda não foi analisado pela presidência da AL, a quem cabe aceitar ou não o pedido.
A defesa do governador afastado disse que respeita o pedido do deputado, mas que no momento não vai comentar o assunto.
Júnior Geo só divulgou a informação no começo da noite desta sexta-feira (26), mas conforme cópia do documento, ele foi protocolado na última quarta-feira (24). O pedido é embasado nas mesmas acusações que levaram ao afastamento do governador por ordem do Superior Tribunal de Justiça, em 20 de outubro.
Governador Mauro Carlesse está afastado das funções
Esequias Araújo/Governo do Tocantins/ Divulgação
Para o deputado, as suspeitas são graves e se enquadram como crime de responsabilidade. Carlesse está sendo investigado por recebimento de propina e por interferência política em investigações policiais. Ele nega estas acusações.
A decisão de aceitar ou não o pedido cabe ao presidente da AL, deputado Antônio Andrade (PSL). Ele está fora do Tocantins nesta sexta-feira, participando de um evento com outros sete deputados tocantinenses em Mato Grosso do Sul.
Na representação, Geo diz que as operações Éris e Hygea da Polícia Federal revelaram indícios da participação do governador em supostos desvios de recursos públicos do plano de saúde dos servidores públicos estaduais, antigo PlanSaúde e, obstrução de justiça utilizando servidores de cargos de confiança e direção para impedir a Polícia Civil do Estado de realizar investigações para apurar crimes de improbidade administrativa e danos ao erário público.
O afastamento do governador pelo STJ tem prazo de seis meses. Atualmente, o governo do Tocantins está sendo exercido pelo vice-governador, Wanderlei Barbosa (Sem partido).
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins


Compartilhar:

Deixe seus Comentario